quinta-feira, 20 de abril de 2017

Rapaz arremessa tijolo e destrói porta de vidro da Câmara de Vereadores



O vidro da porta da Câmara de Vereadores de Maringá foi destruído por um tijolo na noite de quarta-feira (19). As informações divulgadas pela assessoria da Casa, são de que “a ação é tratada como vandalismo isolado”, uma vez que de acordo com o relato da segurança, “um rapaz teria chegado de bicicleta e pedido água ao segurança, que permitiu que o jovem entrasse e tomasse água. Quando saiu, no entanto, ele pegou um tijolo e arremessou na porta, que foi destruída”. O suspeito fugiu. Ainda conforme a assessoria, a substituição do vidro deve demorar alguns dias, por este motivo, um tapume foi colocado no local. A polícia foi acionada e as imagens das câmeras de segurança devem ajudar na identificação do suspeito.

Pais devem adotar postura preventiva para evitar que filhos se envolvam em jogos perigosos, diz MP



Tentativas de suicídio e casos de automutilação que estariam relacionados ao chamado "jogo da Baleia Azul" têm chamado a atenção das autoridades policiais e de saúde em várias partes do Brasil, incluindo o Paraná. A competição, que teria surgido na Rússia a partir de uma notícia falsa, propõe aos participantes 50 tarefas, sendo a última o suicídio. Preocupado com a situação, o Ministério Público do Paraná faz um alerta aos pais para que redobrem os cuidados com os filhos, principalmente adolescentes, com intuito de atuar de modo preventivo e também identificar sinais que possam indicar que estejam participando dos desafios propostos pelo jogo. A promotora de Justiça Luciana Linero, que atua no Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça (Caop) da Criança e do Adolescente e da Educação do MPPR – Área da Criança e do Adolescente, lembra que ser pai ou mãe de adolescentes, por si, já exige mais, pois essa é uma fase em que naturalmente as pessoas tendem a apresentar um comportamento mais rebelde e vontade mais acentuada de transgredir regras. Além disso, ela comenta que os casos de depressão na adolescência, que podem deixar a pessoa mais suscetível a participar desse tipo de desafio, também têm se tornado mais comuns nos últimos anos. Nesse sentido, ela alerta para a importância de os pais tentarem se aproximar mais dos filhos: "Hoje, em função das características da vida moderna, que torna o tempo mais escasso, os pais têm menos tempo para ficar com os filhos. Mas é preciso que usem bem esse tempo, procurando resgatar os vínculos. Os pais têm que dar liberdade aos jovens, mas também devem monitorá-los". A promotora de Justiça ressalta que o diálogo é fundamental para que os pais possam atuar de modo preventivo, evitando que os filhos se exponham a uma série de riscos. Da mesma forma, é fundamental que sejam identificados, de modo precoce, sinais de que os jovens possam estar com quadros depressivos ou participando de jogos nocivos, como o Baleia Azul. "Se os pais estiverem atentos, poderão notar mudanças de comportamento, como agressividade, isolamento, tristeza exagerada, ansiedade, cortes e mutilações, gosto súbito por filmes de terror, alterações de sono e distúrbios alimentares. Tudo isso pode ser revelador de um estado atípico e que requer cuidados especiais." Confirmadas as suspeitas de depressão, participação em jogos perigosos ou outros quadros preocupantes, Luciana Linero recomenda que os pais procurem apoio de profissionais especializados, como psicólogos e psiquiatras, dependendo do caso. Pontua ainda que os casos associados ao jogo Baleia Azul devem ser comunicados à polícia, já que, em geral, denotam práticas criminosas. Escolas – O MPPR destaca a importância de os professores também estarem atentos ao comportamento dos estudantes, já que, em boa parte do tempo, os jovens permanecem na escola. A promotora de Justiça Hirminia Dorigan de Matos Diniz, que atua no Caop da Criança e do Adolescente e da Educação – Área da Educação, sugere que as escolas mantenham ações permanentes, focadas no combate a problemas que podem deixar os jovens mais suscetíveis a participar de jogos como esse e a pressões para cumprir as tarefas. "São programas como os de combate ao bullying e de prevenção à depressão, que possam favorecer a integração de todos e de cada um dos estudantes. Se existe um trabalho preventivo, de proteção da criança e do jovem em casa e também na escola, os riscos de cooptação pelos organizadores de jogos desse gênero diminuem", comenta. A promotora comenta ainda que há necessidade de o poder público de modo geral atuar por meio de políticas públicas de combate a situações que possam deixar os jovens suscetíveis a esse tipo de situação. Uma reunião para discutir especificamente o problema do jogo Baleia Azul está marcada para a tarde desta quinta-feira, na sede da Secretaria Estadual da Educação, em Curitiba, e deverá contar com a participação de representantes do MPPR.


Com informações Bonde

PREFEITURA DE SARANDI COMEÇA ADESÃO PARA ASFALTO COMUNITÁRIO NO JD. DAS TORRES



Na última segunda-feira (17), foi realizada uma reunião com os moradores do Jd. das Torres em Sarandi. O principal assunto discutido foi à implantação do Asfalto Comunitário no bairro, que já conta com meio fio e galerias pluviais. O asfalto vai beneficiar cerca de 360 imóveis, melhorando a qualidade de vida das famílias. Mas, para que o projeto comece é preciso que pelo menos 70% dos moradores façam adesão ao programa. Para isso, o GRC – Gabinete de Relações Comunitárias fará plantões nos fins de semana tirando dúvidas e certificando que os contratos sejam assinados. O valor estimado é de aproximadamente R$996 mil reais para asfaltar as seis ruas do bairro, mas o valor pode diminuir com o processo de licitação. “O asfalto é um progresso, traz mais segurança, qualidade de vida e saúde básica e estamos dispostos a concretizar este sonho tão esperado pelos moradores”, ressaltou o Prefeito Walter Volpato.