quarta-feira, 3 de maio de 2017

Câmara de Sarandi realiza sessão para comemorar os 10 anos da SDI


A Câmara Municipal de Sarandi realizou na noite de ontem (3), a primeira sessão especial deste ano. O objetivo foi comemorar os 10 anos de criação do “Dia da Soka Gakkai Internacional – SGI” integrado ao calendário oficial do município desde 2007, através da Lei 1361/07. A entidade é uma organização não governamental filiada a ONU (Organização das Nações Unidas), presente em 192 países, composta por aproximadamente 13 milhões de associados. Em Sarandi, 130 famílias fazem parte da SGI. Mensalmente são realizadas atividades que destacam os valores humanos, baseado na missão de promover a paz. Em 1960 foi constituída a Associação Brasil SGI-BSGI, por Daisaku Ikeda, sendo o representante da entidade em terras brasileiras. O presidente Daisaku Ikeda e sua esposa Kaneko Ikeda reconhecidos por liderarem o movimento pacifista, juntos já receberam mais de 700 homenagens, inclusive uma praça que leva o nome de Kaneko Ikeda em Sarandi localizada no Jd. Europa. Na ocasião, o Prefeito Walter Volpato (PSDB) destacou o compromisso dos associados na manutenção da praça. “A gente percebe o zelo com aquele espaço que é da comunidade, então quero aqui parabenizar tudo o que vocês fazem por Sarandi”, afirma o prefeito. Para os associados, a Sessão Especial é uma forma de relembrar a data e reafirmar o compromisso de fazer a diferença na sociedade.



 Informações Assessoria de Comunicação de Sarandi

Pais esquecem bebê de sete meses dentro do carro



Policiais militares tiveram que conter os ânimos de pessoas que passavam pela rua Sergipe, entre a Minas Gerais e a Mato Grosso, centro de Londrina, perto das 15h desta quarta-feira (3). É que um bebê foi deixado pelos próprios pais no banco de trás de um Fiat Punto, gerando revolta entre os populares, que arrombaram o carro para socorrer a criança. De acordo com o tenente Marcus Vinícius Mastine, do 5º Batalhão, as testemunhas disseram que os pais se ausentaram por 20 minutos. No entanto, os responsáveis apresentaram outra versão: afirmaram à PM que foram a um estabelecimento comercial para comer um lanche, e por isso acabaram se distraindo. Eles foram hostilizados por quem presenciou o fato. Poilciais formaram um cordão para impedir que os pais fossem agredidos. O caso foi apreciado pelo Núcleo de Proteção à Crianças e Adolescentes (Nucria). Todos foram ouvidos pelo delegado de plantão. Um inquérito foi aberto. Os pais do bebê podem responder pelo crime de abandono de incapaz.