terça-feira, 17 de julho de 2012

Com novo pátio, aeroporto passa a receber grandes aeronaves de carga

Com a inauguração do novo pátio nesta terça-feira (17), o Aeroporto Regional Silvio Name Júnior, em Maringá, passará a receber grandes aeronaves com quantidade ilimitada de cargas internacionais. A informação foi confirmada nesta manhã pelo superintendente do terminal, Marcos Valêncio. O novo pátio é resultado da criação do Tráfego Internacional de Cargas de Maringá em 2006, a partir de habilitação concedida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) ao terminal.Para Valêncio, a mudança traz mais qualidade também aos voos diários de passageiros. “O pátio vai melhorar a estrutura para as aeronaves de carga e, além disso, poderemos receber mais posições [vagas] para aeronaves de passageiros, ampliando o nosso suporte.” A construção do novo pátio, cuja área é de 13 mil metros quadrados, custou R$ 3 milhões. Deste total, 70% vieram do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Proffa) e os 30% restantes, do governo estadual. “Até hoje recebemos grandes aeronaves vindas de Miami [nos Estados Unidos] com frequência de operações quinzenais e cargas limitadas, porque não tínhamos pátio com essa área e suporte”, lembrou o superintendente do aeroporto. Vale ressaltar que o aeroporto de Maringá terá outro investimento no segundo semestre deste ano, para o aumento do comprimento da pista e a ampliação do terminal de passageiros. A pista terá aumento de 2,1 mil metros para 2,3 mil metros. Além disso, será criada uma via pela qual os aviões vão circular para sair ou chegar à pista, chamada de taxiway, com 1,5 mil metros de extensão.
Comissão de Orçamento aprova texto que sobe mínimo para R$ 667,75

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou nesta terça-feira (17) o texto-base da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2013. Mas ainda falta a votação de destaques apresentados pelos parlamentares, que ainda podem alterar pontos do texto. O parecer do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) foi acertado com o governo. Apesar da retração da economia em 2012, o crescimento é mantido em 5,5% do PIB para 2013 - apesar de o mercado já ter reduzido a previsão para este ano para cerca de 2% -, o superávit primário em R$ 155,85 bilhões e o salário mínimo sobe para R$ 667,75 no ano que vem, contra os atuais R$ 622,00, reajuste de 7,3%. Por pressão da oposição, o relator concordou em retirar do texto autorização para manter os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), mesmo se o Orçamento da União de 2013 não for aprovado até 31 de dezembro deste ano. Com isso, o governo só continua podendo gastar com o custeio da máquina, caso o Orçamento não seja aprovado até 31 de dezembro. Todos os anos, o governo tenta incluir esse item, mas a oposição retira na negociação final.O relator ainda inovou ao prever que poderão ser abatidos do superávit um total de R$ 45,2 bilhões de investimentos prioritários - mudança com a qual os técnicos do governo concordaram. Até agora, o abatimento era feito usando como base apenas os investimentos do PAC. Mas os técnicos dizem que essa alteração não tem problemas, porque o PAC está dentro dos investimentos prioritários. Mas Valadares desagradou o governo ao criar o chamado Anexo de Metas, uma lista de obras prioritárias no valor de R$ 11 bilhões. O governo não havia enviado o Anexo, como determina a LDO, e argumentou que as prioridades eram as obras do PAC. A criação deste Anexo, segundo Valadares, teve aval do Ministério do Planejamento, mas técnicos dizem que pode haver vetos.

DESTAQUE

Ordem de serviço autoriza construção de uma nova Unidade Escolar Estadual em Sarandi

Na tarde da última quinta-feira (04), o Prefeito Walter Volpato (PSDB) recebeu em seu gabinete, o Diretor Presidente do FUNDEPAR – Inst...