terça-feira, 15 de outubro de 2013

Padre é preso por estelionato e curandeirismo

A Polícia Civil de Santa Catarina prendeu na segunda-feira, em Lages, um padre de 71 anos acusado de estelionato e curandeirismo. Geovanilzo Novais Mendes, conhecido como Frei Paulo Mendes, foi preso na companhia de Rodrigo Bombarda, 30 anos, em um sítio às margens da BR-116. Mesmo não sendo médico, o padre é conhecido por utilizar produtos medicinais e terapêuticos com promessa de cura, sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No momento da prisão, os golpistas estavam com mais de R$ 2,5 mil, dinheiro oriundo dos atendimentos realizados a mais de 30 vítimas, pouco antes da ação policial. Os valores cobrados pelos golpistas variavam entre R$ 30 e R$ 60, e a promessa era de cura para os mais diversos males. Durante o interrogatório, o padre afirmou que realiza atendimentos em várias regiões, exceto na cidade onde mora, em Barra Velha (SC), pois, segundo ele, tinha medo de ter problemas com a Justiça. Ao todo, foram apreendidos vários produtos medicinais, chás, pomadas e aproximadamente R$ 4 mil em espécie. Após procedimentos policiais, os conduzidos foram encaminhados ao Presídio Regional de Lages, onde permanecem à disposição da Justiça. 

Fonte: Terra

Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar) divulgou nota pública de apoio ao juiz Rafael Altoé que determinou a apreensão de drogas em Sarandi e prisão de traficantes, que culminou com a prisão dos policiais militares da P2 por parte do delegado de Sarandi Reginaldo Cetano da Silva.

Amapar emite nota pública em apoio ao juiz Rafael Altoé




  NOTA PÚBLICA A ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO PARANÁ – AMAPAR -, entidade que congrega os magistrados do Estado do Paraná, diante da nota pública veiculada pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná – Sidepol -, em seu site oficial (http://sidepol.org.br/2013/10/nota-de-repudio-investigacoes-da-pm/), em 10 de outubro de 2013, vem a público para esclarecer os fatos lá divulgados: 1 - O procedimento judicial de busca e apreensão mencionado na nota referida é uma medida cautelar, preparatória ou incidente a um processo penal, que tem como objetivo encontrar e apreender objetos utilizados em crime, drogas ilícitas, armas ilegais, pessoas vítimas de crime. 2 – No caso específico foi deferido pelo juízo um requerimento (tecnicamente chamado de representação) formulado pelo Ministério Público do Paraná, devidamente instruído com elementos indicativos de possível prática de narcotráfico. 3 - Causa estranheza a postura adotada pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná ao criticar medida que redundou na apreensão de grande quantidade de entorpecente e na prisão em flagrante de duas pessoas - possivelmente envolvidos na prática de delito de tráfico de drogas, que, como é cediço, por se tratar de crime permanente, autoriza a intervenção policial a qualquer momento, sendo dispensável inclusive autorização judicial. 4 – Diferenças ou quezílias existentes entre determinados membros da Polícia Civil ou Polícia Militar – instituições valorosas a quem incumbe a segurança pública -, pouco interessam à população ou à apuração de crimes. O relevante é que os criminosos sejam presos, processados e punidos, assegurados os direitos e garantias individuais, e observado o devido processo legal. 5 – No Estado Democrático de Direito não se concebe possam as decisões judicias ser questionadas senão pelas vias processuais adequadas previstas no Código de Processo Penal – o que não ocorre no caso em comento. 6 - Ao invés de reclamar de cautelar que alcançou seu objetivo na rede mundial de computadores – apreensão de drogas e prisão de envolvidos -, pelo simples fato do trabalho preliminar ter sido realizado pelo serviço reservado da Polícia Militar em conjunto com o Ministério Público, o que a sociedade espera de todos os envolvidos é colaboração para diminuição da criminalidade – notadamente desta que envolve o crime organizado e fatos considerados hediondos. 7 – Para finalizar, os magistrados do Paraná, vem a público apresentar integral e incondicional apoio a conduta adotada pelo Juiz Direito Rafael Altoé, em exercício na Comarca da Região Metropolitana de Maringá, que cumprindo fielmente seu papel, em decisão fundamentada na Constituição Federal e Código de Processo Penal, determinou medida cautelar que implicou na apreensão de entorpecentes e prisão de envolvidos com o crime na cidade de Sarandi, Paraná. Curitiba, 11 de outubro de 2.013. JUIZ FERNANDO SWAIN GANEM Presidente da Associação dos Magistrados do Paraná

Morre ex-prefeito de Ivatuba e ex-presidente da Amusep




O ex-prefeito de Ivatuba (a 42 quilômetros de Maringá) e ex-presidente da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), Vanderlei Santini, sofreu um infarto fulminante e morreu na manhã desta terçaSantini estava em uma academia em frente à praça principal de Ivatuba quando passou mal e foi para casa. Ali, ele caiu. Levado ao hospital, que fica a apenas três quadras, não houve tempo de os médicos o socorrerem.-feira (15).

Preso em Maringá assessor do deputado Nishimori

Um assessor do deputado federal Luiz Nishimori (PSDB) foi preso acusado de peculato – apropriação indevida de bens e recursos públicos -, na tarde desta segunda-feira (14), na 9ª Subdivisão Policial (9ª SDP) de Maringá. Luis Fernando da Silva foi preso ao tentar registrar um Boletim de Ocorrência no local para informar o extravio de documentos pessoais. No entanto, a polícia verificou que havia um mandado de prisão em aberto contra ele. “É de praxe que haja a consulta sobre a situação criminal de quem faz o BO e do possível acusado de um crime”, explicou o delegado-chefe da 9ª SDP, Sérgio Barroso. Segundo o delegado-chefe, havia um mandado de prisão contra Silva expedido em 2012 pela juíza Kelly Sponholz, da Comarca de Astorga. No entanto, ele afirmou que não tinha detalhes sobre a prisão porque estava em Curitiba até o início da noite desta segunda-feira (14). Até o mesmo horário, a Polícia Civil informou que Luis Fernando da Silva estava preso na carceragem da 9ª SDP, em Maringá, e que ele deveria ser transferido para a Delegacia de Astorga em breve. No entanto, Polícia Civil de Astorga disse não ter sido informada da prisão de Silva até as 20 horas desta segunda-feira (14). A assessoria de imprensa do deputado federal Luiz Nishimori não foi localizada até o mesmo horário. Nesta segunda-feira (14), o deputado cumpria agenda oficial, ao lado de representantes da Prefeitura de Maringá, no Japão.

DESTAQUE

Ordem de serviço autoriza construção de uma nova Unidade Escolar Estadual em Sarandi

Na tarde da última quinta-feira (04), o Prefeito Walter Volpato (PSDB) recebeu em seu gabinete, o Diretor Presidente do FUNDEPAR – Inst...