quinta-feira, 18 de maio de 2017

Ex-vereador e ex-assessora da Câmara de Foz são condenados a devolver R$ 117 mil



O ex-vereador Braiz de Moura e uma ex-servidora da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, terão de devolver R$ 117 mil aos cofres públicos por conta de uma contratação irregular. O valor corresponde a salários recebidos indevidamente pela ex-assessora e atende ao pedido do Ministério Público Estadual (MP-PR) em uma ação civil pública por improbidade administrativa. De acordo com a denúncia, a funcionária ocupou o cargo comissionado entre novembro de 2010 e junho de 2012 nomeada por Moura. Ela, no entanto, nunca trabalhou no Legislativo. “A prova produzida em sede de inquérito civil público e não impugnada em momento algum após a instauração do contraditório deixa evidente que os requeridos (...) e (...) atuaram de forma conjunta para causar prejuízo direto ao erário do município de Foz do Iguaçu com a nomeação da primeira para o cargo de assessor parlamentar sem que, efetivamente, jamais tenha desempenhado tal função”, destaca a sentença publicada na terça-feira (16). O ex-vereador e a ex-funcionária foram condenados ainda à suspensão dos direitos políticos por cinco e oito anos, respectivamente. Moura deve pagar uma multa equivalente a duas vezes o dano causado ao erário e a ex-servidora o correspondente a três vezes o prejuízo causado, o que se aproxima de R$ 500 mil. Em contato com a defesa do ex-vereador Braiz de Moura, o advogado Cesar Abbate Sosa não quis comentar o caso e disse apenas que vai recorrer da decisão.

Dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual é lembrado em Sarandi



O CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) em parceria com o PAEFI (Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos) realizou na manhã desta quinta-feira (18), um evento para lembrar o Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi instituída por lei, devido à repercussão nacional do “Caso Araceli”, onde no dia 18 de maio, uma menina de 08 anos foi sequestrada, violentada e assassinada, no Espírito Santo. Os agressores nunca foram punidos. Estima-se que a cada 4 horas, uma denúncia de violência contra crianças e adolescentes é feita na Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos. Na tentativa de conscientizar a comunidade sobre como prevenir esses casos, a Analista Judiciário do Foro Regional de Sarandi da Comarca da Região Metropolitana de Maringá, Nair Lopes, ministrou uma palestra para que a família possa identificar os sinais de abuso. A cerimônia contou com uma apresentação da fanfarra da APAE e foi realizada, no Salão Paroquial da Igreja São Paulo Apóstolo, na Av. Londrina, 1700 – Jd. Independência. As denúncias de exploração sexual de menores podem ser feitas, através do disque 100.

DESTAQUE

Ordem de serviço autoriza construção de uma nova Unidade Escolar Estadual em Sarandi

Na tarde da última quinta-feira (04), o Prefeito Walter Volpato (PSDB) recebeu em seu gabinete, o Diretor Presidente do FUNDEPAR – Inst...