terça-feira, 3 de outubro de 2017

Motorista da Uber suspeito de vender droga durante corridas é preso em Maringá, diz polícia

Um motorista do aplicativo de transporte de passageiros Uber foi preso na tarde desta segunda-feira (3) com cocaína dentro do veículo em Maringá, no norte do Paraná. Segundo a Polícia Civil, o condutor é suspeito de vender o entorpecente durante as corridas.
Ele foi preso após uma denúncia anônima, ainda de acordo com os policiais, com parte da droga no carro.
Na casa do motorista, os policiais apreenderam mais porções de cocaína, além de uma balança de precisão e o carro utilizado pelo condutor para fazer as corridas. Um segundo veículo, que estava na casa do homem, também foi apreendido.
G1 tenta contato com a assessoria de imprensa da Uber.

Uber em Maringá

No dia 24 de julho, a Câmara Municipal aprovou projeto que regulamenta serviços como a Uber na cidade. A matéria foi votada em sessão extraordinária, já que os vereadores estão em período de recesso legislativo, e recebeu oito emendas. O projeto ainda está em discussão e não foi regulamentado pelo prefeito.


Fonte: G1

Cartórios já podem emitir documentos de identificação


Os cartórios de registro civil do país poderão emitir documentos de identificação, como passaporte e carteira de trabalho, alterar informações em certidões de nascimento, além de permitir que os pais escolham a naturalidade do filho de acordo com o local de nascimento ou com a cidade onde a família reside. As mudanças vieram com a Lei nº 13.484/17, sancionada na semana passada, que transformou os cartórios de registro civil em ofícios da cidadania. 

Segundo o presidente da Associação dos Notários e Registradores de São Paulo (Anoreg/SP), Leonardo Munari, com a medida os órgão públicos podem aproveitar da capilaridade dos cartórios, além de tornar a emissão de documentos mais acessível à população. "Os governos, seja federal, estaduais ou municipais, só tendem a ganhar porque podem economizar com mão de obra, procedimentos internos e utilizar dessa capilaridade dos cartórios." Hoje, o Brasil conta com quase 14 mil cartórios. 

Entretanto, a oferta desses serviços em cartório não é universal. Vai depender de convênios firmados entre as associações de cartório e os órgãos expedidores de documentos. A emissão de passaporte, por exemplo, depende de convênio com a Polícia Federal; já a emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) depende de convênio com o Departamento de Trânsito (Detran) de cada unidade da federação. 

Segundo Munari, a expectativa é que o funcionamento desse serviço seja gradual a partir de projetos pilotos. No Rio de Janeiro, por exemplo, já existe um piloto em cinco cartórios para a emissão da segunda via do Registro Geral [RG]. "Isso vai depender do interesse do órgão público ou órgão privado", explicou. "Os cartórios têm todo o interesse em prestar mais e bons serviços à população, de forma que todos saiam ganhando". O presidente da Anoreg/SP explicou ainda que os valores para emissão dos documentos vai depender do convênio firmado com cada órgão, "sempre com consciência", mas ressalta que os documentos que são gratuitos, definidos por lei, continuarão assim. 


Informações: Agência Brasil

DESTAQUE

Ordem de serviço autoriza construção de uma nova Unidade Escolar Estadual em Sarandi

Na tarde da última quinta-feira (04), o Prefeito Walter Volpato (PSDB) recebeu em seu gabinete, o Diretor Presidente do FUNDEPAR – Inst...